Painel 6 - Capitalismo e movimento socialista no mundo

Sempre que aparece uma grande dificuldade para as coletividades, os  homens tentam suplantá-la de algum modo.  Foi assim com o capitalismo no século XIX: por diferentes razões, a população cresceu, a produção agrícola não deu conta da demanda de alimentos, as pessoas abandonaram o campo e foram para as cidades buscar trabalho.  Nas cidades, as fábricas de teares, já uma indústria movida a carvão, em plena Revolução Industrial empregava preferencialmente mulheres e crianças. 14 horas de trabalho e pagamento irrisório...

Tópico 1 - Tensões sociais do capitalismo

Século XIX e a hegemonia inglesa.

 

A partir da derrota de Napoleão em Waterloo, em 1814, a Inglaterra tornou-se hegemônica no mundo e as antigas monarquias que tinham sido derrotadas ou afastadas por Napoleão, voltaram a seus tronos, ratificadas a partir do Congresso de Viena, em 1819.

 

 

Entretanto, o período das guerras napoleônicas e seu domínio no mundo, fez com que uma coisa fosse modificada na mentalidade dos povos: os ideais da Revolução Francesa—Liberdade, Igualdade e Fraternidade—foram difundidos por todas as nações da Europa e um novo modo de ver o mundo surgiu.

 

Surgiu também a classe média burguesa, a média de cidadãos das nações europeias com seus gostos, atitudes, leis e valores plenamente fortalecidos.

 

O capitalismo e o mundo burguês, nesta fase, alcançaram seu ápice usando a energia carbonífera, na primeira fase da Revolução Industrial, e mecanizando o processo de produção gradualmente em todas as áreas. As tensões sociais se multiplicaram, a desigualdade social ampliou-se ao extremo, o mundo colonial explorado pelas grandes nações europeias expandiu-se e os interesses industriais, políticos e bancários confundiam-se no mundo.

 

"O Congresso de Viena foi uma conferência entre as potências vencedoras da batalha contra o Império de Napoleão, que ocorreu entre 1 de Outubro de 1814 e 9 de Junho de 1815. Os objetivos desses países vencedores eram redesenhar o mapa político europeu, reestabelecer a ordem na França e equilibrar suas forças, no sentido de garantir a paz na Europa.

 

Foi assegurado que a França deveria pagar uma indenização de guerra (700 milhões) e formar um novo governo conservador, dominado pelo clero e pela nobreza, além do mais, a França continuaria com os mesmos limites terriroriais da época de Napoleão Bonaparte. A Alemanha e a Itália tiveram que ceder parte de seus territórios para a Prússia e Áustria. As conseqüências do Congresso de Viena foram: vantagens políticas aos países dominantes, redefinição das fronteiras políticas européias e relativa paz no contexto da época...!

Ler mais:

http://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/congresso-de-viena.htm

http://www.coladaweb.com/historia/congresso-de-viena

Resultado do Congresso de Viena.

Princípios

As diretrizes fundamentais do Congresso de Viena foram: o princípio da legitimidade, a restauração, o equilíbrio de poder e, no plano geopolítico, a consagração do conceito de "fronteiras geográficas"6 :

  • O princípio da legitimidade, defendido sobretudo por Talleyrand a partir do qual se consideravam legítimos os governos e as fronteiras que vigoravam antes da Revolução Francesa,garantindo com isso que os Bourbons retornassem ao poder com a anuência dos vencedores. Atendia os interesses dos Estados vencedores na guerra contra Napoleão Bonaparte, mas ao mesmo tempo buscava salvaguardar a França de perdas territoriais, assim como da intervenção estrangeira. Os representantes dos governos mais reacionários acreditavam que poderiam, assim, restaurar o Antigo Regime e bloquear o avanço liberal. Contudo, o acesso não foi respeitado, porque as quatro potências do Congresso trataram de obter algumas vantagens na hora de desenhar a nova organização geopolítica da Europa7 .
  • O princípio da restauração, que era a grande preocupação das monarquias absolutistas, uma vez que se tratava de recolocar a Europa na mesma situação política em que se encontrava antes da Revolução Francesa, que guilhotinou ao rei absolutista e criou um regime republicano, a República, que acabou com os privilégios reais e instituiu o direito legítimo de propriedade aos burgueses. Os governos absolutistas defendiam a intervenção militar nos reinos em que houvesse ameaça de revoltas liberais.

Quanto à consagração das antigas fronteiras europeias de antes das conquistas napoleônicas, este princípio ficou sendo válido até o início da 2ª Grande Guerra Mundial.

Antecedentes do desenvolvimento do capitalismo e comércio mundial nos séculos XVII e XVIII

Tópico 2 - A economia mundial e suas tensões políticas

Durante os séculos XVII e XVIII, e certamente no contexto do Congresso de Viena, as práticas comerciais e de guerra eram muito próximas. A sobrevivência de uma nação, sua soberania e capacidade de mantê-la estava atrelada à capacidade de se impor pelo comércio. Observe:

"A economia colonial foi reduzida à produção de matérias-primas e ao monopólio do transporte marítimo; os países aceitavam apenas embarcações próprias em seus portos; os bens estrangeiros tinham tarifas aduaneiras exorbitantes ou simplesmente eram proibidos.

Foi dessa forma que a Inglaterra atingiu com força o comércio dos Países Baixos com seu Ato de Navegação de 1651, que proibia quase totalmente a circulação de produtos holandeses na França.


“Apenas a força das armas é capaz de romper as barreiras do protecionismo”, assinala o historiador francês Michel Mourre (1928-1977) em seu Dicionário da história. “Como as colônias eram fechadas para outros países, a única solução para ampliar o comércio de um país era conquistar as colônias dos adversários: o primeiro império colonial francês passou às mãos da Inglaterra em 1763, da mesma forma que o Império Português na Indonésia foi anexado pelos holandeses no início do século XVII, e que os britânicos e americanos favoreceram a independência das antigas colônias espanholas na América no início do século XIX”.

Ler mais:

http://www2.uol.com.br/historiaviva/reportagens/uma_pequena_historia_do_comercio_planetario_2.html

Toda a dinâmica de vida do século XIX se fez a partir do progresso incomensurável da revolução industrial e do desenvolvimento do capitalismo mais selvagem.

Tópico 3 - A economia mundial e as tensões políticas desta época.

Vamos pensar sobre a definição de capitalismo.

Contexto de surgimento da Revolução industrial e expansão capitalista.

O capitalismo  como decorrência do mercantilismo nos séculos anteriores.

"Não há exatamente um consenso sobre a definição de capitalismo. Basicamente, temos de considerar o capitalismo uma decorrência do mercantilismo dos séculos XVI e XVII, muito embora não possamos discordar de que, mesmo na Antiguidade as práticas capitalistas estavam presentes.

 Meios de produção e propriedde privada.

“Alguns definem o capitalismo como um sistema onde todos os meios de produção são de propriedade privada, outros o definem como um sistema onde apenas a "maioria" dos meios de produção está em mãos privadas, enquanto outro grupo se refere a esta última definição como uma economia mista com tendência para o capitalismo. A propriedade privada no capitalismo implica o direito de controlar a propriedade, incluindo a determinação de como ela é usada, quem a usa, seja para vender ou alugar, e o direito à renda gerada pela propriedade.4

Capitalismo e a acumulação de capital

O capitalismo também se refere ao processo de acumulação de capital. Não há consenso sobre a definição exata do capitalismo, nem como o termo deve ser utilizado como categoria analítica.5 Há, no entanto, pouca controvérsia que a propriedade privada dos meios de produção, criação de produtos ou serviços com fins lucrativos num mercado, e preços e salários, são elementos característicos do capitalismo.6 Há uma variedade de casos históricos em que o termo capitalismo é aplicado, variando no tempo, geografia, política e cultura.7

Governos e o grau de intervenção nos mercados: uma das grandes questões.

Economistas, economistas políticos e historiadores tomaram diferentes perspectivas sobre a análise do capitalismo. Economistas costumam enfatizar o grau de que o governo não tem controle sobre os mercados (laissez faire) e sobre os direitos de propriedade. A maioria8 9 dos economistas políticos enfatizam a propriedade privada, as relações de poder, o trabalho assalariado e as classes econômicas.10 Há um certo consenso de que o capitalismo incentiva o crescimento econômico,11 enquanto aprofunda diferenças significativas de renda e riqueza. O grau de liberdade dos mercados, bem como as regras que definem a propriedade privada, são uma questões da política e dos políticos, e muitos Estados que são denominados economias mistas.10

 

A evolução do capitalismo

O capitalismo como um sistema intencional de uma economia mista desenvolvida de forma incremental a partir do século XVI na Europa,12 embora organizações proto-capitalistas já existissem no mundo antigo e os aspectos iniciais do capitalismo mercantil já tivessem florescido durante a Baixa Idade Média.13 14 15 O capitalismo se tornou dominante no mundo ocidental depois da queda do feudalismo.15 O capitalismo gradualmente se espalhou pela Europa e, nos séculos XIX e XX, forneceu o principal meio de industrialização na maior parte do mundo.7 As variantes do capitalismo são: o anarco-capitalismo, o capitalismo corporativo, o capitalismo de compadrio, o capitalismo financeiro, o capitalismo laissez-faire, capitalismo tardio, o neo-capitalismo, o pós-capitalismo, o capitalismo de estado, o capitalismo monopolista de Estado e o tecnocapitalismo.(...)”

 

Leia mais:

 http://pt.wikipedia.org/wiki/Capitalismo

 

Após o Congresso de Viena: liberdade, iguadade e fraternidade substituídas por fé, autoridade e tradição

O mundo tornou-se cada vez mais conservador e um lugar difícil de se viver. O fato mais importante a registrar é que na segunda metade do século XIX, as tensões sociais decorrentes do desenvolvimento do capitalismo no mundo aumentaram exponencialmente. E com elas as dificuldades de se viver na Europa.

As duas fases do século XIX:

1ª fase: 1815 (Batalha de Waterloo e derrota de Bonaparte) até 1848 - Tentativa de restauração do Antigo Regime: sistema de governo que vigorou na Europa entre os séculos XVI e XVIII - sistema de governo absolutista (todo poder centralizado nas mãos do rei) e mercantilismo (regime de trocas voltado para o lucro unilateral de cada país).

O Antigo Regime foi interrompido pela Revolução Francesa em 1789 e com o período napoleônico que segue e se encerra com sua derrota em Waterloo.

Entre 1815 e 1848, os inimigos da burguesia, do liberalismo e dos ideais da Revolução Francesa tentam moldar o mundo pelos antigos ideais recionários (daí o nome "Antigo Regime".

A partir de 1815 os principais países (Inglaterra, Áustria, Prússia e Rússia) participantes do Congresso de Viena:

a) Iniciaram um processo de compensações territoriais para restabelecer o antigo equilíbrio de forças na Europa e manter a paz:

> Inglaterra: consolidou sua supremacia naval e recebeu colônias já conquistadas à França (Ceilão, , Malta e Colônia do Cabo)
2ª fase:

 sistema de governo que vigorou na Europa, principalmente, entre os séculos XVI e XVIII

Imagens do capitalismo no século XIX - Amplie seus conhecimentos.

Tópico 4 - Socialistas utópicos e socialismo científico

A classe média europeia e os primeiros movimentos operários

A partir de 1820, o mundo europeu e a vida das diversas classes sociais sofreram muitas mudanças.  Novos direitos foram adquiridos e reconhecidos, movimentos operários se tornaram cada vez mais organizados para fazer face à miséria que o regime capitalista industrial forçava as sociedades e inflingia ao povo que somente tinha sua força de trabalho como elemento de negociação.  Confira no slideshare abaixo como a sociedade europeia do século XIX se modificou.

O socialismo utópico

 

A ideia básica do socialismo em sua primeira fase era que o homem saberia, movido por ideais cristãos, dividir riquezas, ser solidário, reconhecer o outro como seu irmão em humanidade.

 

O Estado teria um propósito mediador nos conflitos sociais e protegeria os mais necessitados dos abusos capitalistas conhecidos então: jornadas de 14 a 16 horas, exploração de mão de obra feminina e infantil.

 

As sociedades saberiam, no âmbito da pólis, criar melhores condições de moradias a todos os que deixaram o interior para buscar condições dignas de vida nas cidades e encontraram uma imensa pobreza e condições desumanas de habitação e total inexistência de serviços públicos assistenciais.

 

Em razão destas crenças, este momento de discussão socialista ficou conhecido como socialismo utópico.

 

O socialismo científico

Quando pensamos em socialismo científico, pensamos imediatamente em Marx e Engels e, logo a seguir, no movimento comunista russo, em Lênin, Stalin e em toda a história que o socialismo desenhou em nosso mundo, durante as guerras mundiais e a Guerra Fria.  Vamos analisar o slideshare abaixo e recordar esta fase da nossa história.

 

Exercício-modelo painel 6

Você acompanhou uma aula bastante extensa e muito rica em conteúdo.  É importante que a compreenda bem, pois afeta sua vida e contemporaneidade.  O exercício que propomos é o seguinte:

a) Elabore um resumo em tópicos dos itens discutidos, RECONTANDO a história desta fase da Europa.

b) Pesquise e responda.  O Brasil foi afetado por estes fatos históricos, desde as guerras napoleônicas até os resultados do Congresso de Viena?

 

Elabore um pequeno comentário de 10 a 20 linhas e envie ao seu professor.