Atividades de Pesquisa_Unidade 2

 

Napoleão Bonaparte
O homem por trás do mito

 

"Napoleão Bonaparte – mas parece que nada conseguiu saber sobre o homem que ele foi. É como se ele se tivesse esforçado por cobrir-nos de informações para melhor se esconder, como um criminoso astuto que quer enganar a polícia.
No entanto, alguns aspectos seus são familiares, a começar pela figura: pupilas fixas, penetrantes, um olhar de céu de inverno atrás de supercílios negros e bem desempenhados, queixo firme, nariz adunco, um rosto com algo de nobre, triste e austero.
Conhecemos também suas pequenas manias. A mais famosa: enfiar a mão esquerda sob o casaco, à altura do fígado. Sem que ninguém possa perceber, essa mão executa uma série de exorcismos sempre que seu dono encontra um padre ou um cachorro preto. Napoleão é supersticioso.
  E há seu modo de falar. Brilhante em italiano, medíocre em francês, ao qual ele freqüentemente acrescenta expressões de sua terra natal, a Córsega. Confunde  palavras: diz anistia em vez de armistício. As circunstâncias o desculpam: menino ainda, antes de entrar como bolsista na escola militar de Brienne, só teve três meses para aprender o francês, ensinado por um padre da Borgonha.
 Finalmente, o tamanho. O soldados do Exército italiano apelidaram-no o pequeno cabo. O marceneiro da ilha de Santa Helena, encarregado de tirar-lhe as medidas para o caixão mortuário, anotou 1,68m. Por causa da cabeça grande demais e do pescoço curto demais, Napoleão sempre pareceu menor do que era.

A infância pobre daquele que seria o imperador da Europa

 Infância, quase não teve. Nascido, em 15 de agosto de 1769, aos nove anos fecham-se atrás dele as portas do severo colégio de Brienne, onde ficará outros sete anos, pobre bolsista sem tostão entre tantos colegas metidos a janotas. Assim que chega, põem-lhe um apelido humilhante, “la paille au nez” (a palha no nariz), imitando a pronúncia com a qual ele diz seu nome – “Nappoilloné”. Um dia, o garoto escreve para casa, ao pai: “Estou farto de aparentar indigência e de ver os sorrisos insolentes dos colegas que, de melhor do que eu, só têm a fortuna. Tira-me de Brienne!"

 

Leia mais:

http://www.gentedanossaterra.com.br/napoleao.html

Vamos usar bem e inteligentemente os recursos da Internet!

A Internet é uma fonte infindável para pesquisas. Tem coisas maravilhosas, excelentes pesquisas... Mas também tem coisas muito ruins e opiniões falhas.

Você deve pesquisar na Internet, mas SEMPRE exerça sua crítica, converse com seus pais e professores.  Consulte os livros recomendados por seus professores, sobre os assuntos estudados. Consulte a Biblioteca da Unidade.  Ótimos livros estarão disponibilizados ali para sua consulta.

É preferível você fazer um trabalho, errar, ser corrigido por seu professor e aprender, a simplesmente copiar qualquer texto que ache só para entregar um trabalho e "se livrar" de suas obrigações.

Tudo o que você não precisa é você mesmo se enganar. Isso é MUITA BOBAGEM!

Use a Internet, uma ferramenta formidável, com cuidado e inteligência. Lembre-se desta frase de Einstein:

"O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário".


Algumas opções para sua pesquisa:
         
> Textos para Leitura
         
> Sites Selecionados
         
> Pesquisas, debate e redação
         
> Curiosidades

        Retornar à Área de Testes.

Veja o filme e analise o mito Napoleão. Como este homem conquistou tants nações na Europa em seu tempo?

Napoleão 1/4

Napoleão 2/4

Napoleão 3/4

Napoleão 4/4

Discuta esta e outras questões em seu chat!

 

Clique aqui.  Você tem inúmeras queestões em su área de chat.  Se quiser, acrescente a disc ussão sobre Napoleão.