Painel 4 – A crise do Liberalismo e início do século XX

A partir do século XVIII e durante o século XIX, com as profundas modificações ocorridas na sociedade e nos sistemas de produção de países como Inglaterra, EUA, Rússia, Japão e demais países ocidentais, temos o seguinte quadro referente ao Capitalismo Industrial:

PRINCIPAIS AVANÇOS DA MAQUINOFATURA - Século XVIII

  • Em 1733, John Kay inventa a lançadeira volante.
  • Em 1767 James Hargreaves inventa a “spinning janny”, que permitia a um só artesão fiar 80 fios de uma única vez.
  • Em 1768 James Watt inventa a máquina a vapor.
  • Em 1769 Richard Arkwright inventa a “water frame”.
  • Em 1779 Samuel Crompton inventa a “mule”, uma combinação da “water frame” com a “spinning jenny” com fios finos e resistentes.
  • Em 1785 Edmond Cartwright inventa o tear mecânico.

O resultado nos séculos XIX e XX

  1. Uso acelerado de energia não-humana - pela transformação do trabalho manual em mecânico com o uso de máquinas a vapor (carvão) gerando um grande volume de produção excedente industrial o que obriga às nações industriais a buscar novos mercados

  2. Implantação de sistemas produtivos de alta escala de produção - em função do grande volume de capital acumulado durante o período da Revolução Comercial.

  3. Explosão urbana - que faz com que haja sempre mão de obra proletária disponível para as fábricas.

  4. Maior exploração de matérias primas - Necessidade cada vez maior de matérias primas para atendimento à produção crescente e necessidade de ampliação de novos mercados uma vez que os mercados europeus estariam saturados com a produção em escala .

  5. Domínio imperialista - das principais nações européias sobre as nações colonizadas ou jovens nações independentes da América, África e Ásia. Estas nações serão fornecedoras de matérias primas e se constituirão em novos mercados para os produtos industrializados.

O Capitalismo Industrial passa, então, por duas fases:  

    • Capitalismo Competitivo - Estado não intervindo na economia e havendo um grande número de empresas normalmente pequenas e muito competitivas entre si, que tenderão a se fundir ou falir, não agüentando a competição.

    • Capitalismo Monopolista – no início do século XX começam as fusões entre pequenas empresas e aquisições destas empresas por empresas maiores.

BDwebB
BDwebB

Monopólios e oligopólios

São formados monopólios - domínio do mercado por uma só empresa num ramo de atividades, controlando qualidade dos bens, produtos, matéria-prima e preços, sem que houvesse concorrência, o que feria os pressupostos do liberalismo,

 

Oligopólios

São formados grupos de empresas de determinado ramo controlando o mercado de forma monopolística.

Chaplin_Tempos Modernos_BDWebB
Chaplin_Tempos Modernos_BDWebB

Ação dos monopólios e oligopólios

Os monopólios e oligopólios agem através da:

  1. Formação de cartéis – empresas de mesmo ramo que se associam para baixar custos e controlar preços, ferindo a livre concorrência.

  2. Formação de dumping – recurso que visa a manutenção do domínio do mercado por parte de uma grande empresa multinacional que poderá abaixar os preços de um ou mais produtos de forma a alijar a concorrência nacional que, normalmente, não pode praticar preços competitivos face aos recursos da multinacional. Sua alternativa é sair do mercado ou fechar a empresa.

Agora que você conhece a sistemática do capitalismo...pense na piscina de moedinhas do Tio Patinha e conheça os 50 mais ricos do mundo. Clique no link.

Onde está o dindin ou “quem possui um quaquilhão?

Autor:Kritski data 18 - setembro - 2009

O Blog Visual Economics, que se diz especializadoem Gráficos e estatísticas econômicas, colocou algum tempo atrás um mapa que mostra onde estão localizadas as 50 pessoas exemplos da desigualdade social. Traduzindo para você  o significado da palavra:

DESIGUALDADE = QUAQUILHÃO!!!!!:

Um mapa onde mostra as 50 pessoas quem podem ter uma piscina particular de moedinhas (vide Tio Patinhas).

CLIQUE NO LINK

Tópico 2– Liberalismo Econômico e a Revolução Industrial

Diversos economistas liberais, a partir do advento da Revolução Industrial, desenvolveram diversas teorias que justificavam classicamente o liberalismo e criaram as bases do capitalismo.

Mapa_Imperialismo 1900_BDWebB
Mapa_Imperialismo 1900_BDWebB

Estas teorias tinham como postulados os seguintes pontos:

BDWebB
BDWebB

Propriedade Privada - A propriedade privada era um direito natural inviolável do indivíduo e suas riquezas, herdadas ou conseguidas com seu trabalho, poderiam ser usadas como bem aprouvesse aos indivíduos, dentro dos limites da lei e com o objetivo de aumentar mais suas rendas e riquezas.

Individualismo_BDWebB
Individualismo_BDWebB

Individualismo - O bem estar da sociedade era resultado da prosperidade econômica dos indivíduos e sua ação no sentido de seu próprio benefício pessoal era totalmente justificada.

Feira livre_Porto Alegre_BDWebB
Feira livre_Porto Alegre_BDWebB

Liberdade de Comércio e Produção – Os negócios e empreendimentos estavam sob o âmbito do próprio indivíduo que era o agente econômico por excelência e exercia papel de relevo em seus negócios e empreendimentos.

BDWebB
BDWebB

Não Interferência do Estado nas Atividades Econômicas - O Estado não deveria interferir nos negócios particulares ou atuar em setores cuja exploração não fosse lucrativa e os particulares não tivessem interesse, embora fosse uma necessidade da sociedade. O objetivo fundamental do governo era o de manutenção da paz, da ordem vigente e proteção à propriedade privada.

BDWebB
BDWebB

Auto-regulação econômica – A economia se auto-regularia através dos mecanismos de oferta e de procura.

 

Maior procura, maior o preço; menor procura, menor o preço.

 

Do mesmo modo, excesso de bens no mercado em oferta faria o preço cair e menor número de bens no mercado faria o preço subir. Estes eram condições consideradas “naturais” e a intervenção do Estado na economia era considerada artificial.

Mineiro de carvão_BDWebB
Mineiro de carvão_BDWebB

Negociação direta entre patrões e empregados - Salários, extensão das jornadas de trabalho e demais condições inerentes deveriam ser fixadas “livremente”entre patrões e empregados através de acordos que deveriam refletir as melhores condições para as partes.

Livre concorrência_BDWebB
Livre concorrência_BDWebB

Livre concorrência

 

Visando a conquista de mercados com a produção dos melhores produtos, pelos menores preços, a livre concorrência beneficiaria os melhores empreendedores e eliminaria do mercado os maus empreendedores.

Abolição das tarifas alfandegárias protecionistas entre países – Cada país deveria se especializar apenas nos produtos que detivesse melhor tecnologia, produzindo em melhores condições que outros países.

Tópico 3 – A Crise do Liberalismo no século XIX.

Serão estas condições que irão embasar teoricamente o liberalismo econômico e que, ao longo do tempo e a partir das práticas monopolísticas e oligopolísticas do capitalismo industrial e financeiro, irão gerar a crise de valores do liberalismo e aprofundar distorções capitalistas que levarão às disputas do início de guerra, à 1a. Grande Guerra Mundial e, posteriormente, à 2a. Grande Guerra Mundial.

BDWebB
BDWebB

A crise do Liberalismo é a discrepância existente entre:

  1. As doutrinas liberais provenientes do iluminismo e das necessidades e ideais da burguesia em reduzir o poder dos monarcas absolutistas, visando atender aos interesses de livre concorrência do mercado e;

  2. As práticas imperialistas de expansão do mercado - levado a efeito pelos Estados que intervinham no mercado durante o período absolutista e, posteriormente pela ação do capitalismo que se organizou de através de monopólios e oligopólios.

Tópico 4 – Recapitulando: O Capitalismo na História Contemporânea

A partir do século XVIII, como vimos, a Revolução Comercial gerou um incremento de produção e o capitalismo comercial cedeu lugar à 1a. fase do capitalismo industrial quando se dá a substituição da energia física pela energia mecânica.

Temos, ao mesmo tempo, a substituição da manufatura de características artesanais, ainda, pela fabricação industrial de produtos em série.

...E a criação do mercado segurador no mundo, desde o século XV...

Nos séculos subsequentes, XX e XXI, temos:

Quito_BDwebB
Quito_BDwebB

Urbanização

As populações do campo migram para as cidades, passando a viver nas periferias das cidades, em bairros pobres e guetos e temos o processo de urbanização como uma das conseqüências da industrialização.

 

Classes sociais antagônicas

Temos duas classes que surgem, interagem e se afirmam: de um lado a burguesia industrial e, de outro, o proletariado industrial.

Consumerismo e burguesia_BDWebB
Consumerismo e burguesia_BDWebB

Poder da burguesia

 

Além de se tornar economicamente dominante na Europa, por deter os meios de produção (máquinas, equipamentos, local de trabalho, condições de geração de energia e de distribuição dos produtos), com a Revolução Francesa, a burguesia industrial se tornou politicamente poderosa.

Cenário da vida no início do século XX.

 

Nada melhor do que descrever como se processava o namoro e o casamento no século XIX. É desse longo processo, moroso e algo labiríntico, que trataremos neste capítulo. A Família, essa, para além de constituída pelos esposos e filhos, a ela se agregavam os avós e mesmo algumas tias ou primas solteiras. Nada que se compare aos tempos actuais, aonde a família nuclear é cada vez mais pequena, reduzida aos pais e a um ou dois filhos. Na família, só o chefe era o decisor supremo. As mulheres submetiam-se...” Clique e leia mais.

 

Condições e contradições do trabalho livre assalariado.

O trabalho assalariado e as condições de trabalho no inicio do século XX

São as seguintes as condições de trabalho na época:

  • O trabalho livre assalariado se tornou o padrão de negociação entre o proletariado e a burguesia.

  • O trabalho proletário incluía longas jornadas de trabalho, sem direitos especiais, sem qualquer segurança e da qual participavam homens, mulheres e crianças, facilmente encontráveis como mão de obra disponível nas grandes cidades.

  • O trabalho proletário se tornou, em pouco tempo, aviltante, explorado em escala nunca vista e socialmente marginalizado, sem que o proletariado tivesse participação nas decisões políticas da comunidade, principalmente em relação às suas condições miseráveis de vida.

Contraditoriamente, o capitalismo gestou a classe operária...pois só assim poderia sobreviver.

Operários_Quadro de Tarsila do Amaral_BDWebB
Operários_Quadro de Tarsila do Amaral_BDWebB
Bolsa de valorees_BDWebB
Bolsa de valorees_BDWebB

Capitalismo financeiro

Pouco a pouco o capitalismo industrial vai cedendo lugar ao capitalismo financeiro, no qual os grandes bancos começam a controlar as empresas comerciais e industriais, isto é, as finanças começaram a ter maior relevo e a controlar as atividades de distribuição de mercadorias e de sua própria produção.

 

As empresas passaram a depender profundamente dos bancos através de empréstimos e do controle acionário que passa aos bancos pouco a pouco.

Imperialismo

O capitalismo financeiro dá origem ao imperialismo, política de expansão levada a cabo pelas nações capitalistas e industrializadas do mundo à áreas das Américas, África e Ásia, cujas regiões se tornaram área de influência ou colônias das nações imperialistas.

Os novos valores do mundo pós-guerra.
Os novos valores do mundo pós-guerra.
Infantaria_1ª Grande Guerra Mundial_BDWebB
Infantaria_1ª Grande Guerra Mundial_BDWebB

As Grandes Guerras Mundiais do século XX e a nova feição do mundo.

 

Estes processos de conquistas de mercado e busca de espaço vital criaram problemas cada vez maiores entre as nações capitalistas: Inglaterra, França, Itália, Alemanha, Rússia, Japão e EUA. Os principais problemas dos primeiros 50 anos do século XX foi a falta de ordenamento das relações internacionais que, somente após a fundação da ONU passaram a ser considerados até os dias de hoje.

Túmulo de soldado canadense_BDWebB
Túmulo de soldado canadense_BDWebB

Fatores que ampliaram os conflitos:

  • A busca a novos mercados e às matérias primas necessária para manter o fluxo de produção lança os países em processos de expansão de novas áreas de influência, novos mercados pelo mundo afora, e forma extremamente agressiva.

     

  • Neste processo de disputas, agrava as tensões e o expansionismo imperialista irá resultar nas grandes rivalidades e alianças do final século XIX e início do século XX e, posteriormente, na 1 e 2ª Grandes Guerras Mundiais.

     

    O custo em vidas humanas deste período é incalculável e veremos um pequeno panorama na próxima unidade.

Exercício-modelo 4

Vamos analisar a pergunta do Rodrigo e as respostas e discutir em sala de aula com seus colegas, preparando a resposta que você julgar mais adequada.

Pergunta:

Imperialismo Seculo XIX?

 
Pessoal,preciso de uma ajuda em historia..o assunto é Imperialismo Seculo XIX
preciso saber,quais as colonias do reino unido, e os pontos de imperialismo que o reino unido teve e o que ele fez e as vantagens que a Inglaterra trouxe pra esses países

por favor,me ajude...

Primeira resposta postada.

Melhor resposta
O Imperialismo do século XIX foi as atitudes de cinco(05)grandes países europeus que eram Inglaterra, Itália, França, Alemanha e Bélgica. Agiram de forma criando um processo de dominação política e econômica chamado de Neocolonialismo, esse processo de dominação capitalista estavam em busca de novas riquezas e matérias-primas e novas terras e novos mercados para abranger seu mercado consumidor, mas o principal objetivo desse sistema era dividir o mundo em potências capitalista ,e explorar as terras descobertas nos continentes Asiáticos e Africanos.
O Neocolonialismo conseguiu seus objetivos usando sua idéia de levar as colônias suas tecnologias e sua Ciência.

Segunda resposta postada.

Outras respostas (1)

 

 

Ricio SCCP respondido 3 anos atrás

Fonte 1
Na segunda metade do século XIX, países europeus como a Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica e Itália, eram considerados grandes potências industriais. Na América, eram os Estados Unidos quem apresentavam um grande desenvolvimento no campo industrial. Todos estes países exerceram atitudes imperialistas, pois estavam interessados em formar grandes impérios econômicos, levando suas áreas de influência para outros continentes.

Terceira resposta postada.

Outras respostas (1)

 

 

Ricio SCCP respondido 3 anos atrás

Fonte 2
O artigo apresenta um pequeno esboço do chamado novo Imperialismo no século XIX, devido ao seu caráter distinto dos antigos impérios da História. Seu objetivo é demonstrar alguns aspectos mais significativos da economia da época, pois baseia sua análise na tipologia empregada por Lênin para compreender as mudanças naquela sociedade que passava por um desenvolvimento vertiginoso no seu modo de produção capitalista. O esforço aqui empregado é de tentar compreender as articulações entre as práticas políticas e sociais das potências imperiais sob o pano de fundo de uma economia que estava em constante transformação nesse período, saindo de um Sistema Capitalista pensado em bases Liberais no início do Século XIX para transformar-se num Capitalismo Monopolista ao final desse. A expansão territorial, característica das potências imperiais, no período em questão reveste-se nesse viés economicista, pois, já não será possível desvincular política de economia.

Continua... Acesse fontes!

Fonte(s):

 

Agora, elabore sua resposta...e a justifique.

Edital JB_BDWebB
Edital JB_BDWebB

Tensões se acumulam no século XIX e eclodem no século XX

A crise do liberalismo pode ser percebida nas práticas do capitalismo industrial ao longo do século XIX e no quadro de tensões internacionais que se vai acumulando na Europa. Este quadro de tensões resulta na corrida armamentista e no antagonismo entre os dois grandes blocos de aliados da época:

  1. Tríplice Aliança – Império Alemanha, Império Austro-Húngaro e Itália.

  2. Tríplice Entente - França, Inglaterra e Rússia.

Crise do Liberalismo e o século XX

A crise do liberalismo e das instituições democráticas estava ainda agravada e um novo quadro preparatório para o advento de regimes totalitários de direita que rondavam a Europa, especialmente a Alemanha e a Itália, com as bases dos regimes nazista e fascista sendo implantados ao longo da terceira década do século XX.

Francisco Ferdinando_BDWebB
Francisco Ferdinando_BDWebB

O inicio da Primeira Grande Guerra Mundial

Após o assassinato do Arquiduque austríaco Francisco Ferdinand em Sarajevo, na Sérvia, houve a declaração de guerra do Império Austro-Húngaro à Sérvia.

 

Imediatamente, o sistema de alianças políticas e militares entre os países europeus da época foi acionado, e nada deteve o início da 1a. Grande Guerra Mundial.

 

Esta guerra perduraria até 1918 e seria vencida pela Tríplice Entente com a participação dos EUA que entraram na guerra em abril de 1916.

Carro do arquiduque Francisco Ferdinando_BDWebB
Carro do arquiduque Francisco Ferdinando_BDWebB

Perdas com a Primeira grande Guerra Mundial


Além da perda de vidas humanas – 9.000.000 de civis e de militares – a guerra trouxe para a Europa uma situação de miséria sem par, pela perda de grande parte das plantações e desorganização dos sistemas de produção de artigos de consumo e de bens industriais.

Fotografia histórica: assassino de Francisco Ferdinando preso_BDWebB
Fotografia histórica: assassino de Francisco Ferdinando preso_BDWebB
Montagem 1ª GGM_BDWebB
Montagem 1ª GGM_BDWebB

Problemas os mais diversos eram o cotidiano das populações da Europa:

  • falta de víveres,

  • filas,

  • falta de emprego,

  • fome,

  • desemprego,

  • doenças.

Mapa-mundi no século XIX. Assim era o mundo.

Fragmentação dos impérios do século XIX e aparecimento de novas nações

Politicamente, os três impérios da época – Alemão, Austro-Húngaro, Otomano – que lutaram como aliados na 1a. Grande Guerra Mundial e foram derrotados, se fragmentaram aparecendo novos países do seguinte modo:

 

Império Alemão – face aos tratados a que teve de aceitar, perdeu todas as suas colônias que foram distribuídas pela França, Inglaterra e Japão. Foi obrigado a devolver a Alsácia e uma parte da Lorena à França e, em 1923 perdeu o vale do Ruhr para a França por não pagamento de dívidas de guerra. Foi obrigada a devolver outras áreas à Bélgica e perdeu uma parte de seu território para a Polônia.

 

Império Austro-Húngaro – A Áustria se separa da Hungria, a Romênia engloba uma parte do território do Império e surgem a Tchecoslováquia e a Iugoslávia.

 

Império Otomano – Desmembra-se em Iraque, Síria, Líbano, Palestina e Transjordânia. O território turco é reduzido, a Arábia se amplia.

Conseqüências imediatas da crise do Liberalismo no inicio do século XX

Esta situação do pós-guerra e a nova realidade política que surge na Europa irão ampliar as crises de valores liberais, a democracia como instituição e a os movimentos proletários em toda a Europa iniciaram uma campanha de enfrentamento aos grupos burgueses de direita em diversos países:

  1. Rússia – 1917 – vitória da Revolução Comunista, o que daria enorme suporte aos partidos operários em toda a Europa.

  2. Itália – 1917 – greve geral violentamente reprimida. Em 1920 cerca de 600.000 operários passam a controlar as fábricas e a burguesia italiana busca apoio em grupos de direita que são o embrião dos fascistas.

  3. França – Cresce a adesão de trabalhadores aos Partidos Socialista e Comunista.

  4. Inglaterra – o Partido Trabalhista adota um programa socialista.

  5. Alemanha – 1918 – insurreição de trabalhadores toma conta do país e governo passa aos socialistas que, enfraquecidos por conflitos internos foram reprimidos com milhares de prisões e mortes de operários, tendo a burguesia

Exercício-modelo 4

Pesquise e descreva como se daria um processo de superprodução industrial a partir da substituição do processo manufatureiro artesanal para um processo fabril de uma produção de sapatos, por exemplo.

Rev_170516

Esta é a ilustração de um spateiro medieval. Ainda encontramos pequenas lojinhas de conserto de sapatos usando as mesmas ferramentas.

Pequena fábrica de calçados em Portugal. Observe o crescimento das funções dos sapateiros.

A indústria dos calçados e o seu design. Observe a sofisticação cada vez maior e a separação de funções em todas as áreas.

Feira de calçados de Franca - São Paulo.  Mais de 1000 expositores.

Entrar em Exercício-Painel 4

 

                 Retornar à Área de Testes.

Rev-180516 fec2 120616