Painel 3 – Revolução Industrial e Liberalismo - Séculos XVIII e XIX

Os princípios fundamentais do liberalismo incluem a transparência, os direitos individuais e civis, especialmente o direito à vida, à liberdade, à propriedade, um governo baseado no livre consentimento dos governados e estabelecido com base em eleições livres; igualdade da lei e de direitos para todos os cidadãos.”

http://pt.wikipedia.org/wiki/Liberalismo_cl%C3%A1ssico

Tópico 1 - Cenário e embate de ideologias ao longo do século XIX.

Nos meados do século XIX, as ideologias que permeavam o ambiente europeu eram as seguintes:

  1. Liberalismo – a ideologia da sociedade capitalista ou burguesa;

  2. Conservadorismo - estabelecido pela política inspirada na Igreja Católica, a chamada Santa Aliança, e os países que apoiavam a restauração absolutista. 

Leiam esta análise.  Que é ideologia e quais as principais no século XIX?

Ideologia é o conjunto de idéias, valores, modos de ser culturais, práticas cotidianas que uma sociedade ou parte de uma sociedade assume como valor e, deste modo, pauta sua vida por estes conceitos, num determinado tempo e espaço, tendendo a influenciar outras pessoas e grupos.

As principais ideologias e lutas sociais no inicio do século XIX se davam entre:

  1.  

     

    Liberalismo - estabelecido pelo ideário burguês de origem iluminista, difundido pela Revolução Francesa, com base nas liberdades individuais, constitucionalidade de governo e liberdade econômica;
  2. Democratismo - que era representado pela classe média e que tinha como bandeiras o sufrágio universal e o republicanismo;

  3. Socialismo utópico - que representava a classe operária e dava seus primeiros passos.

Paralelamente ao desenvolvimento tecnológico e a expansão do comércio pelas nações européias no século XIX, as doutrinas liberais foram geradas ao longo das crises européias e seus momentos históricos.

As origens do Liberalismo e o desenvolvimento tecnológico

Marcos das conquistas burguesas e de seus valores são os seguintes:

  1. A revolução burguesa na Inglaterra (1640 – 1660) – Fundamento de uma nova ordem ideológica e de um novo ordenamento social baseados na propriedade e liberdade, ideologia da sociedade capitalista.

  2. Revolução Francesa em 1789 - O inicio da Idade Contemporânea é uma época caracterizada pela percepção de que a razão era o paradigma da relação entre os homens e nações, apesar das contradições capitalistas.

Este ideário se espalhou por toda a Europa em primeiro lugar, difundido pela ação de Napoleão nos diferentes paises, e  expande-se também pelo Novo Mundo, sendo caracterizado pelos movimentos de Independência, especialmente na América Latina.

Tópico 2 - Tecnologia e modificações na Idade Contemporânea-1789/nossos dias).

A tecnologia aparece em diversos campos de saber – medicina, construção, transportes (o mundo é totalmente intercomunicável por barcos a vapor e ferrovias), tecnologia de guerra, armas, canhões, explorações a áreas distantes e interiores dos continentes africano, asiático, ártico e antártico.

 

 

Origens no movimento Iluminista

O movimento iluminista desenvolvido na França, Inglaterra e Holanda, entre os séculos XVII e XVIII, fortaleceu os ideais políticos e econômicos da burguesia.

 

Qual a idéia básica do Iluminismo?

O iluminismo, tendo a razão como primado, fortaleceu ideologicamente a noção de um mundo em progresso, do desenvolvimento de noções positivas e do domínio mecânico do mundo.

 

Papel da tecnologia

O papel da tecnologia neste momento está centrado na mecânica newtoniana. Seu desenvolvimento se dará a partir de novas formas de energia utilizadas na industria, sendo o carvão a principal delas.

O impacto tecnológico

 

Quais as conseqüências deste impacto tecnológico nas sociedades e na natureza?

Ao pensarmos o uso de tecnologia em fábricas, empresas, intervenções na natureza e atividades cotidianas das cidades que cada vez mais se urbanizam, devemos também pensar seu impacto tecnológico.

Mais população, mais lixo...

 

Mais população concentrada implica em:

>  mais lixo,

>  maior poluição,

>  maior volume de dejetos,

>  maior necessidade de controles sanitários,

>  maior necessidade de busca a mercados para gerar recursos,

>  e, cada vez mais, o problema se acumula e se torna mais grave.

                    População maior

                                      |

                    Mercado maior

     Poluição                           Produção

            |                                          |

  Controles Sanitários           Lixo inorgânico

                                 |                       |

                       Dejetos orgânicos

 

Como um círculo vicioso, consequência do crescimento das cidades e falta de infraestrutura básica. Ou seja: TUDO TEM UM CUSTO!

Reserva de mão de obra

Devemos ter em mente que o processo de desigualdades próprio ao sistema capitalista, seja na Europa ou América, ou ainda em qualquer país periférico, irá aprofundar as desigualdades sociais e entre países em seus interesses divergentes.

 

Desemprego e emigração

Este processo é irreversível e suas conseqüências serão clássicas: mais mão-de-obra disponível que busca emprego ou emigra para outros países (final do século XIX e início do século XX – emigrações da Europa para diversas partes do mundo em massa).

Crises, tensões e cenário político complexo

 

Crises e tensões entre países que fazem eclodir as duas Grandes Guerras Mundiais no século XX; e um cenário de destruição de infra-estrutura especialmente na Europa, nos mostra o resultado de tensões políticas enfrentadas ao longo do século XIX.

Tópico 3 - A base tecnológica do século XX:

A segunda metade do século XIX encontra a Inglaterra em pleno ápice da Revolução Industrial tendo já vencido sua primeira fase (1760/1860) quando os processos industriais e o desenvolvimento de maquinário e sua instalação se deu em grande escala em todo o reino, produzindo uma base fabril sem precedentes no mundo.

BDWebB
BDWebB

Os dois momentos da Revolução Industrial

 

  • A Primeira Revolução Industrial na Inglaterra (1760/1860).

     

  • A Segunda Revolução Industrial na Inglaterra (1860/1914).

 

 

 

Razões para o desenvolvimento da base industrial inglesa.

 

 

Devemos nos lembrar que a Inglaterra, sendo uma ilha, sempre teve de ser auto-suficiente em relação aos estados continentais europeus, daí seus grandes desenvolvimentos navais, comerciais e industriais.

 

Buscar riquezas em outros países, produzir, comerciar e navegar, sempre foram opções básicas dos ingleses.

I - A Primeira Revolução Industrial na Inglaterra (1760/1860).

a) A energia carbonífera e a máquina a vapor.

Vamos conhecer passo a passo o desenvolvimento industrial.  A base do desenvolvimento industrial inglês, foi a energia carbonífera, que alimentou a indústria artesanal e propiciou elevados níveis de produção durante a Revolução Comercial.

 

Produção artesanal - produção em escala industrial

O desenvolvimento da máquina a vapor, portanto, favoreceu mais um salto: o desenvolvimento de um parque industrial com capacidade de produção intensiva de artigos diversos (automação dos diversos setores) como, por exemplo,  fios para área têxtil:

 

Exemplo: Setor têxtil de algodão

A máquina de fiar Jenny, desenvolvida em 1667, capaz de fiar 8 fios simultaneamente, em 1779  foi aperfeiçoada com dispositivos hidráulicos, chegando a produzir 400 fios simultaneamente, 20 anos mais tarde (1789).

A automação de tecelagens

 

Posteriormente, quando a mão de obra (tecelões) se tornou excessivamente cara e rara, a automação das tecelagens se tornou inevitável, substituindo-se o tear manual e impelindo a produção de tecidos a patamares nunca antes esperados, o que barateou o custo em relação aos demais países.

b) Progressos derivados da invenção da máquina a vapor.

Com o desenvolvimento da máquina a vapor como fonte segura de energia fabril, seus contínuos aperfeiçoamentos, desde que foi inventada por Thomas Newcomen, em 1712, para bombear água de minas temos:

Implementos:

  • Esta máquina foi implementada de uma câmara especial para condensar vapor em 1763 (James Watt, cientista, fabricante de máquinas da Universidade de Glasgow).

 

  • Em 1782, Watt adicionou um dispositivo para converter a ação do êmbulo que se movia linearmente, num movimento circular, capacitando o motor a mover a maquinaria das fábricas.

 

c) Importância da máquina a vapor no cenário fabril da Inglaterra:

A máquina a vapor, assim, se transformava numa forma de geração de energia sem par. 

Energia de moinho d’água

As formas de energia anteriores ao carvão e ao advento da máquina a vapor eram a energia animal, a energia dos fluxos d’água – que moviam os moinhos – e a energia eólica – que impelia as velas dos navios.

 

Em épocas de estiagem, haveria menor fluxo d’água e prejuízo às industrias que usassem a roda d’água.

Energia do carvão

 

Associada à extração do carvão, do ferro e sua produção em chapas, a máquina a vapor permitiu que a indústria inglesa se transformasse e promovesse o desenvolvimento muito rápido da industrialização em diferentes campos, por ser uma grande propulsora e acumuladora de energia, uma força motriz de inesgotável qualidade.

d) Modificação do cenário fabril do mundo

Podemos citar as modificações de cenário a partir de seu advento, ao longo do século XIX e com efeitos no século XX. Vamos observar:

a)   Deu-se especial importância à produção e extração do carvão como fonte de energia para as máquinas a vapor.

b)   Transformaram-se os processos de manufatura e produção de ferro como matéria prima (ferro).e produtos daí derivados.

c)   Ampliou-se a produção de máquinas-ferramenta que pudessem ser adaptadas às diferentes cadeias produtivas em diferentes fábricas.

Observem os resultados: 

  • Fábricas de material de guerra - canhões e armas de fogo.
  • Estaleiros e empreendimentos navais - com a utilização de máquinas a vapor nos navios, substituindo a energia eólica.
  • Processo de fabricação de ferro - ferro forjado e ferro fundido, com menor conteúdo de carbono, metal de qualidde superior que encarecia o ferro forjado.
  • Locomotivas ou máquinas a vapor - para puxar uma fieira de carris de transporte, transformando-se em locomotivas - 1822 - George Stephen constrói a primeira locomotiva que é usada entre Stockton e Darlington (Inglaterra) - 24 km/h.
  • Novas máquinas mecânicas  de beneficiamento agrícola - surgiram debulhadoras, ceifadeiras, arados e grades para uso agrícola, mecanizando a agricultura.

 

Em 1860 a média de vendas destas máquinas chegou a 20.000 por ano, causando uma era de prosperidade sem precedentes, que durou até a grande crise de 1873.

 

Observe o estilo, a evolução dos processos de energia e algumas conquistas tecnológicas do século XIX.

Tópico 4 - A Segunda Revolução Industrial na Inglaterra (1860/1914).

Adam Smith, em seu livro, A Riqueza das Nações (1776), explica o mercado se autorregulando através de decisões individuais e empresariais, conseguindo um maior nível de eficiência, em comparação com a intervenção dos governos absolutistas.

O desenvolvimento mundial a partir da 2ª Revolução Industrial

O conceito de riqueza das nações está ligado à produção de riquezas de forma eficaz e se regulando através da competição e no mercado.  

 

As bases tecnológicas e os processos de uso de energia desenvolvida favoreceram o perfil do desenvolvimento mundial nesta fase de Revolução Industrial:

               Carvão >>  vapor >> eletricidade.

A Base energética da Segunda Revolução Industrial

 

A Segunda Revolução Industrial teve como sua base energética a eletricidade.  Podemos apontar os seguintes  fatores de progresso para o mundo contemporâneo:

  a)   Substituição do vapor pela eletricidade – esta força motriz, utilizando-se o dínamo como máquina capaz de transformar energia mecânica em energia elétrica, foi a base deste segundo momento.  As fábricas passaram a utilizar o vapor ou energia hidráulica para mover dínamos. 

     Em 1929, na Inglaterra, a eletricidade correspondia a dois terços da força motriz de seu parque industrial, sendo maior seu uso na Alemanha.

 b)   O êxito comercial da eletricidade - concebida em 1820 por Sir Humphrey Davy e elaborada na forma de  lâmpada com filamento em 1870 por Thomas Edson, caracteriza a Segunda Revolução Industrial.

c)   Petróleo - Utilização do petróleo como fonte de energia e descoberta do motor a combustão com o início da indústria automobilística.

  d)   Substituição do ferro pelo aço - como material industrial básico, através de  processos que reduziam em muito o teor de carbono ou fósforo, tornando o produto extremamente duro e muito barato. 

  e)   Produção de aço na Inglaterra - Entre 1880 e 1914, a produção de aço da Grã-Bretanha subiu  de 2 a 7 milhões de toneladas, a da Alemanha de 1 a 15 milhões de toneladas e a dos Estados Unidos de 1.600.000 a 28 milhões de toneladas.

Clique na imagem abaixo e uma aba irá abrir. Acompanhe o Powerpoint.

  f)   Automação de linhas de produção - Ampliação de setores que passaram a usar maquinaria automática, como correias transportadores de linha de montagem, gerando um enorme desenvolvimento da produção em massa: um carro como o modelo “T” da Ford, através de processos de automação de toda sua linha de montagem, chegou a ser montado em uma hora e trinta e três minutos.

  g)   Alto grau de especialização no trabalho

    teorias e sistemas de administração foram desenvolvidos com novos métodos de produção sendo analisados e testados em indústria visando aumentar a produção e reduzir os custos.

    

     Observe o uso de mulheres e crianças nas linhas de produção!

  h)   Desenvolvimento da química industrial - aliada à obtenção de metais raros  com o uso de ligas, metais leves como alumínio extraído da bauxita (argila), magnésio, usado na construção de aviões, magnésio cromo, molibdênio vanádio e tungstênio, indispensável na indústria moderna. 

i  i)   Desenvolvimento da química sintética -  obtenção de papel de polpa de madeira, sintetização de anilinas e corantes e produtos minerais, ácido nítrico de elementos presentes no ar, extração de glicose do milho, além de inúmeras outras descobertas no campo industrial e de petróleo.

j  j)   Revolução dos transportes e da comunicação - especialmente em vias férreas, linhas oceânicas, marítimas e fluviais, automóveis e caminhões produzidos em linha industrial.  A primeira linha aérea regular, entre Londres e Paris se inicia em 1919.

  k)   Comunicações em todo o mundo - Telefones entre Londres e Paris (1927) , telégrafo sem fio(1899), telex por cabo submarino ligando a Europa aos Estados Unidos (1901), rádio (1920 – radio- transmissões comerciais) e, posteriormente, já no século XX a televisão (1926).  É importante observarmos o desenvolvimento do cinema – mudo e sonoro, nas primeiras décadas do século XX.

II - Segunda Revolução Industrial e o século XX

A Segunda Revolução Industrial assistiu, ao final do século XIX à formação de monopólios e ao desenvolvimento do capitalismo financeiro que se sobrepõe ao capitalismo industrial e permanece até hoje presente na vida de todos nós com base no liberalismo. 

Fatos característicos do capitalismo financeiro podem ser pensados em exemplos do dia a dia:

 

  • Domínio das indústrias pelos bancos e seguradoras com a presença de milhares de acionistas e o desenvolvimento contínuo das Bolsas de Valores.
  • Acumulação de capitais em nível mundial que veio a caracterizar a indústria moderna transnacional.
  • Separação entre propriedade e direção com a eleição de diretores e principais executivos por acionistas.
  • Aparecimento de holdings ou empresas de participações que detêm inúmeras outras empresas na totalidade ou em alguma participação percentual, influenciando sua direção e seus negócios.

 

 

Exercício-Modelo 3

 

Tema para debate:

Discuta em aula, pesquise e encaminhe sua resposta justificada em suas pesquisas ao seu professor.

 

Poderíamos afirmar que a prática imperialista das empresas e dos países industrializados ao longo do século XIX, sua competição desenfreada por matérias primas e por novos mercados levaram a um agravamento das tensões entre os países e a conflitos que culminaram na 1a.Grande Guerra Mundial em 1914?  Justifique sua resposta.

Entrar em Exercício-Painel 3

 

               Retornar à Área de Testes.

 

Rev_170516 fec2 120616